Tambores e Agês – Instrumentos musicais do nosso batuque

 

Naquela época, os tambores eram de madeira e se chamavam Nhânha.

Um dos lados da Nhânha tem o diâmetro maior que o outro e tem couro dos dois lados, mas só se toca no lado em que o diâmetro é maior.

Tenho uma Nhânha até hoje, que pertenceu a minha avó. Lembro de ouvir a vó e a mãe contando que o homem que fez a nhanhã, passou oito dias indo na casa da vó nesse processo de construção desse tambor.

Essa Nhânha foi feita de itaúba e por isso nunca pegou cupim e ela tem mais de cem anos.

Na nação de Oyó sempre se toca um tambor com dois agês, ou até dois tambores com dois ou mais agês.

Nunca, numa obrigação, se toca mais tambores que agês, porque só o tambor, sem agês, tocamos para eguns, por isso numa obrigação, cuidamos muito isso.

Os agês, naquele tempo, eram feitos com lágrimas de nossa senhora. A lágrima era plantada na beira de riachos, limpávamos as sementes tirando uma palhinha que tem dentro delas e montávamos os agês.

One Response to Tambores e Agês – Instrumentos musicais do nosso batuque

  • LEONARDO ALMEIDA DA SILVA says:

    Ótimo! Gostei muito do blog e dos assuntos abordados! É disso que a nossa religião está carente, de conhecimentos, de fundamentos, respeito! RESPEITO E AMOR AO PRÓXIMO! Parabéns.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *