Histórias e Vivências Religiosas

Como era Despachar Serviços e Oferendas

 

Naquele tempo era muito difícil despachar uma obrigação, porque morávamos em uma área de segurança, pois ficava próximo ao quartel da brigada militar.

Éramos muito perseguidos, por isso, sempre fizemos os axés em pouca quantidade para que não chamasse a atenção.

Na hora de levar uma oferenda na praia, levávamos os axés dentro de latinhas e lá, montávamos em folhas de mamoneiro.

Em relação aos axés em pouca quantidade e em folhas de mamoneiro, sigo fazendo até hoje, pois o que importa é a concentração, o respeito e a energia que trazemos para a obrigação, com isso, os orixás, sempre respondem e sempre obtivemos êxito em nossos pedidos.

Naquela época, o Lago Guaíba, conhecido em Porto Alegre como Rio Guaíba, vinha até a Rua Praia de Belas, hoje Avenida.

Entre a Praia de Belas e o Guaíba, havia um mato e era pelas trilhas que chegávamos a praia.

Meu irmão sempre ficava nos cuidando na entrada do mato, caso aparecesse a polícia. Quando os policiais chegavam, ele assiviava e nós pegávamos as coisas para sair correndo pela trilha. Como os brigadianos vinham sempre a cavalo, tinham que fazer outro caminho, que não a trilha e isso nos dava tempo para fugir sem que nos vissem.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *